› home | mensagem do pároco



Parabéns pra você nesta data querida... muitas felicidades e muitos anos de vida!

Todos nós da paróquia celebramos com alegria a 100ª edição do nosso Jornal Ressurreição!
Parabéns para a incansável equipe, a Yasmine, nossa editora-chefe, e os demais membros!
Em nossa sociedade, celebramos sempre os que tiram em primeiro lugar: o melhor filme, a melhor atriz, o primeiro aluno da sala, o campeão etc. etc.
Mas, na Bíblia, o verdadeiro vitorioso é aquele que permanece.
O apóstolo Paulo, falando do país onde nasceram as Olimpíadas, assim se expressa: “Todos correm para receber uma coroa corruptível, eu anuncio uma coroa incorruptível...” (cf. 1Cor 9,25).
Ao pressentir que seus dias na Terra estavam chegando ao fim, ele declara: “Combati o bom combate, guardei a fé, falta-me receber a coroa que o justo juiz me reservou!” (2 Tm 4,7).

O tempo passa,... mas o tempo permanece.
No Livro do Eclesiastes (Ecl 3,1ss), o autor sagrado diz que na Terra há tempo para tudo. E como é bom celebrarmos nossas vidas, inseridas no tempo...
No sábado (10.03), ao fim da missa das 17h, um casal de nossa paróquia falava-me com alegria dos longos anos de participação nesta comunidade - inclusive durante muitos anos à frente de serviços pastorais. (Parabéns Aparecida e Edmundo!). Ao sair da igreja, encontro-me com uma senhora e sua jovem neta, que fez Primeira Comunhão e agora acompanha a avó e participa. É este o Tempo de Deus! Na Bíblia temos aqueles que acompanharam Jesus desde o início de sua vida pública: “E deixando tudo, O seguiram.”
Também aqueles que na última hora tomaram o tempo a seu favor:
O bom ladrão (Dimas) que, na hora derradeira, pede a Jesus apenas para ser lembrado e ouve de Jesus: “Ainda hoje estarás comigo no paraíso.”
O centurião romano, ao acompanhar toda a execução de Jesus, ao vê-lo morrer, faz sua profissão de fé: “Verdadeiramente, este é o filho de Deus” (Jo 27,54).

Para todos nós, determinadas datas são importantes. Eu nunca esqueci a minha entrada no Seminário São José, aos 15 anos (07.03.1960), e com uma situação muito interessante: o Cardeal D. Jaime que recebia os novos alunos, em vez de a mim, acolheu o amigo que me acompanhava (o Carlinhos) e, olhando para mim, disse “quem sabe um dia você também entra no seminário?” Eu, que sempre respondo, naquele momento fiquei calado... (Onde estará esse meu amigo de infância e adolescência?!)

O tempo! Pode deixar marcas em nossas fisionomias, pode nos deixar debilitados fisicamente, mas também pode nos dar a experiência de saber ter mais paciência, relevar certas situações e, acima de tudo, olhar para trás e continuar com a esperança de dias melhores. Amanhã, na missa das 12h, celebrarei os 100 anos de uma senhora; com que categoria essa pessoa fala de sua vida, de seus filhos, netos, bisnetos e, acima de tudo, de sua fé!

Estimados amigos, agradeço pelo tempo que estou nessa paróquia (32 anos); me sinto tão bem que parece que foi ontem! Espero não ser um peso para vocês...

(mar./2018)